Plugin NLS da Waves: Soma analógica ou analog summing em home studio

Olá, hoje vou falar sobreo plugin NLS da Waves

estúdio antigo

Usando um plugin NLS da Waves para criar uma soma analógica

Que emula consoles analógicas de grande importância.Falta do calor analógico? Quando mixamos em computador (Mix in the box), a principal carência que sentimos ou sentíamos era o efeito analógico que os equipamentos físicos responsáveis pelos processamentos transmitiam ao áudio tempos atrás muito antes da era digital.

Depois que a música passou a ser produzida também no ambiente digital,

Os engenheiros e os ouvintes de música passaram a sentir falta do que chamamos de calor analógico, que nada mais é do que o efeito causado pelo funcionamento dos componentes eletrônicos e mecânicos dos equipamentos tradicionais como equalizadores, compressores e gravador de rolo e claro das mesas de mixagem.

Logo no início dos processamentos digitais,

Os sons perderam essa coloração analógica pois o processamento digital era mais preciso e transparente, perdendo assim aquela característica analógica como chiados da corrente elétrica, distorções harmônicas causadas pelas válvulas de certos equipamentos ou modulações quase imperceptíveis causadas pelo gravador na fita de rolo.

Enfim o som ficou xoxo, sem graça.

Não transmitia mais aquela vibração que estávamos acostumados com os sons dos discos. tenho a impressão que os processos digitais foram criados justamente para resolver os problemas que na verdade não eram problemas pois faziam soar melhor as músicas, apesar de conseguir um som limpo, cristalino e transparente com os processamentos digitais,

E agora? Como fazer?

Voltar ao sistema analógico e usar novamente os equipamentos caros e pesados, ou encontrar uma forma de compensar a falta de calor analógico com os plugins?

felipe lisciel soma analógicaNão, a tecnologia já tinha chegado bem longe e era muito incômodo voltar..

Algumas companhias passaram a estudar e desenvolver diversas formas de trazer de volta o que se tinha perdido sem o uso dos equipamentos físicos.

Não sei se você já viu aqueles vídeos do Felipe Lisciel (Fantástico)

Onde ele tira o som dos canais para grupos e dos grupos para diferentes saídas da interface de áudio, ligando-as em uma mesa de som analógica e reenviando da mesa para dentro do software de mixagem gravando em uma pista L-R (no caso dele o Pro Tools) ?

Ele fazia isso para somar o som do analógico da mesa ao projeto.

Esse processo é chamado de analog summing e segundo as palavras do Lisciel, isso dá um tempero na música, faz com que ela abra e o som fique na cara, muito mais pronunciado. Bom mas o fato é que o Lisciel dispôs de uma boa mesa de som com no mínimo oito canais e uma interface de áudio também com no mínimo oito saídas. Deste modo ele podia direcionar os grupos de instrumentos fazendo tudo passar pela mesa e voltar para o Pro Tools para ser gravado em uma track estéreo.

Mas como fazer isso em um home studio que não possui uma mesa com oito canais e cuja interface de áudio possui apenas duas saídas de áudio?

Para fazer um analog summing em home studio, podemos usar o plugin NLS da Waves.

NLS quer dizer Non Linear Summing ou soma não linear em português.

Esse plugin pode emular as características sonoras dos canais de três consoles famosas usadas por três engenheiros e produtores bastante conceituados que colaboraram com seus conhecimentos para que a Waves desenvolvesse esse plugin capaz de fazer maravilhas e de dar uma grande variedade e versatilidade na hora de produzir a soma de artefatos analógicos ao nosso som.

Os três produtores são o Mark Spike Stent

que possui uma SSL 4000G, Mike Hedges que com as sobras do estúdio Abbey Road construiu sua própria mesa EMI TG1245MKIV  e Yoad Nevo que encomendou uma mesa sob medida para a Neve que construiu a Neve 5116 que foi considerado uma das melhores de sua produção pela própria Neve.

SPIKE MIKE NEVO

A Waves e os produtores

A Waves então em parceria com esses três produtores criou o NLS para emular essas três consoles em três módulos que levaram os nomes dos produtores.

  • O módulo Pike portanto com emulações dos 32 canais da mesa SSL 4000G
  • O módulo Mike com emulações dos 32 canais da mesa EMI TG1245MKIV
  • O módulo Nevo como emulações dos 32 canais da mesa Neve 5116

Quem já trabalhou com uma mesa analógica em estúdio…

…sabe perfeitamente que os canais não são iguais uns aos outros. Eles sempre apresentam diferentes formas de respostas de frequência e coloração. Muitas vezes o produtor , conhecendo já a sua mesa sabe perfeitamente em que canal ele vai colocar o baixo por exemplo, por saber que naquele canal específico ele vai conseguir um melhor som para o instrumento.

A waves também pensou nisso

e para cada um dos três módulos existe a possibilidade de escolher 32 sons diferentes como se fossem os 32 canais das mesas. E aí é a questão de experimentarmos e conhecer cada som para que possamos designar para um determinado instrumento aquele som específico. Podemos tratar o NLS como se fossem realmente três mesas em nosso pequeno, humilde mas poderoso home studio.

Para saber mais sobre técnicas e ferramentas de mixagem CLIQUE AQUI

Como usar o NLS?

O uso será para o processamento das tracks junto com equalizador e compressor e outros efeitos.mas devemos escolher em que ponto iremos inserir o NLS Cannel em cada track: se antes ou depois de todos os processamentos usuais.

Se colocarmos no início da cadeia, iremos processar o áudio usando o equalizador e compressor já com o efeito do plugins.Se colocarmos no final da cadeia nós vamos colocar o efeito já com os processamentos de equalização e compressão em curso. São maneiras diferentes e resultados sonoros diferentes

Existem duas versões para o NLS:

  • a versão NLS Channel, que pode ser mono ou stereo para ser usada diretamente nas tracks
  • a versão NLS Bus também mono ou estéreo para ser usada em canais de grupos ou no master fader

O NLS Channel é para ser usado nos inserts dos canais

para que possamos escolher com qual canal de qual mesa queremos trabalhar com cada instrumento.

NLS CHANNEL MONO SPIKE MIKE NEVO

Os três módulos

Nos três módulos você pode perceber os mesmos botões de controle, só que com a aparência e as características sonoras distintas para cada canal de cada mesa.

  • MÓDULOS – Acima dos botões podemos visualizar os três módulos que podemos trabalhar. Clicamos em cima do módulo para selecionar.
  1. SPIKE – Emulação dos canais da SSL 4000G
  2. MIKE – Simulação dos canais da EMI TG1245MKIV
  3. NEVO – Simulação dos canais da Neve 5116
  • DRIVE  – Neste Knob é que vamos dar volume à distorção harmônica  que o ganho dos prés da mesa adiciona ao áudio.
  • VCA GROUP – Neste botão vamos poder assinalar para qual grupo vamos colocar nosso instrumento dentro da versão NLS Buss que vamos ver mais abaixo. Podemos criar até 8 grupos e com este knob apontamos para qual grupo será enviado o áudio que está saindo no canal.
  • MIC – Pressionando este botão, nós adicionamos mais distorção ao áudio.
  • NOISE – Quando a luzinha está acesa significa que o plugin está emulando também os ruídos característicos que o equipamento físico produz em seu funcionamento.
  • BYPASS – Pressionando este botão nós desligamos os efeitos mas ainda ficamos com a simulação analógica dos ruídos característicos da mesa.
  • OUTPUT – Controla o nível de volume de saída do plugin
  • VCA TAB – Pressionando este botão, podemos visualizar o plugin NLS Bus inserido na master ou em algum canal de grupo para onde o instrumento está sendo enviado. Mais abaixo vamos ver como fazer isso.

VCA TAB

 

No topo do plugin nós vemos o VU

para controlar os níveis e acima do VU na barra superior podemos ver um indicador e duas setas: uma para a esquerda e a outra para a direita. No indicador podemos visualizar o número dos canais de cada módulo ou mesa que são no total de 32 para cada e com as setas podemos selecionar o melhor canal para cada instrumento.

barra superior do nls channel

Ainda na barra superior podemos selecionar um preset e LOAD ou salvar os nossos próprios presets em SAVE e a opção A B para fazer comparações entre um e outro canal ou preset.

O NLS Channel também tem a versão para canais estéreo

e funciona basicamente da mesma forma e ainda tem um botão do lado esquerdo onde podemos optar por usar como estéreo ou dual mono.

Conheça também o CLA-2A, uma ferramenta que emula o equipamento LA-2A fabricado nos anos 50 e usado até hoje.

NLS Buss

O NLS Buss é a simulação da mesa com a qual vamos fazer o analg summing.

NLS BUSS

Lembra quando falei que o Lisciel selecionava grupos de canais?

Ele fazia isso com os canais da bateria, guitarras, vozes, teclados etc... e enviava a saída desses grupos para uma saída da interface e as saídas da interface de cada grupo entrando em uma mesa analógica para mandar a saída da mesa de volta para o Pro Tools para gravar em um canal estéreo para adicionar a soma analógica? Certamente o Lisciel ainda fazia uns ajustes em cada canal da mesa como balanço entre os volumes ou mais ganho no pré de um dos grupos.

Pois é exatamente esse trabalho que o NLS Buss vai fazer.

Veja que temos oito canais nessa mesa ou VCA como é denominado pela Waves que significa Agregador de Console Virtual. Com um duplo clique em cima do nome podemos renomear os canais com o nome dos grupos de instrumentos que o canal irá controlar.vca groups nls buss

  • Grupo 1 BATERIA OU DRUM
  • Grupo 2 BAIXO OU BASS
  • Grupo 3 GUITARRAS OU GTR
  • Grupo 4 TECLADOS OU KEYS
  • Grupo 5 VOZES OU VOX

Podemos criar mais três canais para outros grupos mas neste exemplo, vamos ficar apenas com estes cinco.

vca groups nls buss bateriaAgora vamos escolher em cada canal desta mesa,

como vamos trabalhar com os canais individuais onde foram inseridos as instâncias do NLS Channel Se escolhermos a opção INDIVIDUAL, será respeitada a configuração que fizemos em cada track individualmente. Se escolhermos um dos três módulos: SPIKE, MIKE ou NEVO, os instrumentos individuais passarão a respeitar essa escolha de acordo como estão assinalados na instância NLS Channel.

Por exemplo: Eu reservei o canal 1 para a bateria, Então eu vou assinalar em cada canal da bateria no botão VCA group para o canal 1 da instância NLS Buss.

 

Se eu escolher a opção NEVO para o canal da bateria…

todas as instâncias do NLS Channel que estiverem assinalando para o canal 1 também serão alteradas para o módulo NEVO. Se eu deixar na opção INDIVIDUAL eu vou trabalhar as instâncias NLS Channel dos canais individualmente como eu configurei e só vou trabalhar no canal 1 com o DRIVE, o TRIM. Ah e ainda posso enviar todos os canais do NLS Buss todos juntos para um mesmo canal que poderia ser o canal 8 por exemplo.

vca group nls buss canal 8

Veja também comousar técnicas e ferramentas de mixagem

Bom, creio que este post virou um verdadeiro guia do usuário.

Mas se você ainda não pegou o espírito da coisa, aguarde o vídeo onde eu vou mostrar na prática

Se você gostou ou não gostou, deixe o seu comentário, ou compartilhe com os amigos.

Se quiser receber mais dicas como esta, faça a inscrição para receber dicas e vídeos exclusivos sobre home studio e produção de áudio. Fico por aqui então e até o próximo post onde vou trazer mais uma ferramenta de home studio.

Grande abraço.

Deixe seu comentário sobre esse artigo.

Músico, produtor e criador do blog idaudio.com.br com o intuíto de compartilhar conhecimentos e dicas com quem está na mesma estrada afim de que todos possam crescer como profissionais, realizando seus maiores sonhos.

4 Comentários

  1. Leandro

    Ola, me chamo Leandro e gostaria de saber se voce ja tem o video de como usar o NLS da waves na pratica?
    muito obrigado pela excelente explicacao! mas com o video acredito que ficaria ainda mais claro. Tenho uma musica para mixar, voce faria a mixagem? e se faria, quanto custa por mix? obrigado e aguardo o seu retorno.

  2. Diego

    Ótima dica!

  3. Estou querendo fazer esse vídeo mas tô sem tempo por causa do trabalho de gravações para a política mas em breve vai sair sim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.