Como funciona o compressor: trabalhando a dinâmica

Como funciona o compressor?

Neste artigo, vamos ver como funciona o compressor e todos os seus parâmetros na produção musical e o que se pode fazer na edição de sinais de áudio.

Leia este artigo até o final, assista o vídeo e depois confira a dica especial para aprender a usar o compressor de dinâmica em toda a produção de áudio em home studio.

O compressor serve para ajustar a dinâmicacomo funciona o compressor

O que é dinâmica?

Quando se fala em áudio e dinâmica, estamos nos referindo à variação da variação da amplitude de um sinal de áudio no decorrer de sua execução.

Algumas vezes em alguns estilos musicais, a variação faz parte da dinâmica da música quando se quer imprimir a diferença dos volumes entre os trechos justamente porque isso faz parte da criação artística. Neste caso essa dinâmica é proposital pois faz parte da composição. Por exemplo na música clássica.

Em outros casos principalmente quando se fala de música pop a diferença entre a intensidade de volume no decorrer do som de um instrumento pode estar relacionada à execução do instrumentista ou cantor.

Na mixagem de uma música pop é interessante que o instrumento mantenha uma dinâmica constante pois, devido à presença de outros instrumentos, se existir partes mais baixas e outras mais altas na execução de um determinado instrumento, pode ocorrer que nas partes mais baixas, o instrumento suma ou seu som fique indefinido.

Para ajustar essa dinâmica, usamos o compressor para que a sonoridade do instrumento fique constante sem muitos altos e baixos, o que pode garantir que o instrumento estará sempre audível na música.

Então o trabalho do compressor neste caso seria diminuir os picos (volumes mais altos) e aumentar os volumes mais baixos.

Transiente e envelope

Para entender como funciona o compressor, vamos ver o que e um envelope de um transiente.

Envelope quer dizer o comportamento dos transientes que compões o som de um instrumento ou um vocal.

Cada transiente possui um ataque, uma velocidade de ataque, um decaimento desse ataque, um tempo de sustentação e uma cauda que é quando o transiente começa a cessar.

como funciona o compressor

Com o compressor, nós podemos modificar totalmente a forma desse envelope, modificando assim o comportamento do instrumento ou vocal dentro da música.

Quando acontece um transiente?

Quando o instrumentista ou vocalista toca uma nova nota ou faz uma marcação rítmica, enfim, enfim toda vez que é gerada uma nova informação na execução.

Leia também:

Artigo – Equalizador e compressor na mixagem

Artigo – Compressor VCA: tipo de compressor de áudio

Parâmetros de um compressor

Para modificar o envelope e mudar o comportamento da sonoridade de um instrumento ou vocal em uma mixagem, o compressor conta com alguns parâmetros que podemos alterar conforme a nossa vontade ou necessidade

Threshold

Com este parâmetro  se define o nível do sinal do áudio ao qual se quer que o compressor comece a atuar.

O compressor irá atuar somente após o sinal de áudio do instrumento ou vocal ultrapassar o nível do threshold. ou seja, enquanto o sinal não atingir este nível, não acontecerá nada com o som e ele permanecerá intacto.

Quando o sinal ultrapassar o nível de theshold, o compressor começa a atuar seguindo os ajustes que fazemos nos próximos parâmetros.

Ratio

O ratio é a razão da atuação do compressor. Neste parâmetro ajustamos uma taxa de compressão que determia o quanto o compressor vai atuar, se levemente ou mais acentuado.

O ratio (razão) pode ser definido em 2:1, significa que o compressor deve atenuar o volume do pico que passou pelo threshold pela metade: se ultrapassar o volume em 2 Db, o compressor vai deixar passar apenas 1 Db, se passar em 4 Db, a atenuação será de 2 Db e se o volume ultrapassar em apenas 1 Db. a atenuação será de meio Db, visto que o compressor sempre atenuará pela metade todo o som que estiver acima do threshold e assim por diante sempre seguindo essa proporção.

Se o Ratio for de 3:1, o compressor só deixará passar !/3 (a terça parte) do sinal que ultrapassar o threshold. Se for 4:1, deixará passar apenar um quarto do volume que estiver acima do threshold e assim por diante em 5:1, 7:1.

Quanto maior a taxa de compressão, mais acentuada será a atenuação dos picos.

Se for uma taxa acima de 10:1, o compressor estará atuando como um limiter pois não deixará passar quase nada acima do nível de threshold.

Attack

É o tempo em que o compressor começa a agir após o sinal ultrapassar o nível do threshold.

Ao definir o tempo de ataque, se determina o quanto o compressor pode esperar ou não para comprimir logo após o sinal ultrapassar o nível.

Um Attack rápido faz com que o compressor atue imediatamente após o sinal ultrapassar o nível do threshold, modificando o envelope do transiente logo nas primeiras impressões.

Uma attack lento faz com o compressor demore um pouco mais a agir, deixando as primeiras impressões do transiente passarem sem sofrer nenhuma ação do compressor para começar a comprimir somente após o tempo de attack estipulado.

Release

O release é o tempo estipulado para o relaxamento do compressor. Conforme esse tempo o compressor vai atuar por mais tempo ou menos tempo

Um release rápido vai fazer com o compressor atue por um tempo menor e assim deixar passar mais a sustentação do transiente.

Um release lento fará com que o compressor atue por mais tempo no transiente, atenuando mais a sua sustentação.

Knee

Com este parâmetro se faz o ajuste de quão abrupta será a compressão. Um knee soft faz com que a compressão seja mais suave e um Knee hard mais acentuada.

Este ajuste vai depender muito da sonoridade que se quer para a música.

Make Up gain

Ao aplicar o compressor pode acontecer de que o sinal da track fique mais baixo do que estava antes de ser comprimido e como na mixagem começamos pelo ajuste de volume antes de aplicar os efeitos, não podemos deixar que os efeitos alterem esse volume.

Então o make up gain serve para ajustar a compensação de ganho.

Se o compressor deixou o som mais baixo de quando não estava comprimindo, deve-se aumentar o nível, se deixou mais alto, deve-se diminuir.

Fazemos isso sempre ligando e desligando o compressor na track para fazer a comparação do nível antes e depois.

Para ficar tudo bem explicadinho, assista o vídeo abaixo.


Se quiser se profissionalizar no uso dos compressores, dá uma olhada na dica que eu postei em outro artigo cujo link vou deixar aqui embaixo

Artigo – Como aprender a trabalhar com compressão na mixagem

Veja outros vídeos em meu Canal no Youtube 


Aqui vai uma boa dica para quem quer se aprofundar no assunto e aprender como usar o compressor e todas as outras ferramentas do áudio para realizar excelentes mixagens: o curso Fórmula de Mixagem do produtor Jorge Araújo do SomBinário é um dos mais completos disponíveis online e vale muito à pena investir neste conhecimento. Confira aqui o que você poderá aprender com ele

 

Quero Conhecer o Fórmula de Mixagem!

 

Se gostou desse artigo, deixe um comentário e compartilhe com seus amigos pois isso vai ajudar na produção de mais conteúdo neste blog.

Obrigado pela visita e volte sempre!

Abraço!

 

 

 

 

Deixe seu comentário sobre esse artigo.

Músico, produtor e criador do blog idaudio.com.br com o intuíto de compartilhar conhecimentos e dicas com quem está na mesma estrada afim de que todos possam crescer como profissionais, realizando seus maiores sonhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.